Cartografia

Criada por Maurinete Lima e Eugênio Lima para a publicação impressa da Ocupação, a cartografia sobre o pensamento de Abdias Nascimento cresce aqui no site, expandindo-se em dois temas inéditos: feminismo negro e genocídio do negro no Brasil*.

Conforme os autores ressaltam no texto explicativo a respeito do material, “esta cartografia sobre o pensamento de Abdias pede para ser compreendida a partir do ponto de vista da desterritorialização, em que a multiplicidade de períodos históricos conflui para o pensamento do autor, criando outras possibilidades de acesso aos ramos de um conhecimento influenciado pelos conceitos e movimentos que construíram uma narrativa da gente negra brasileira.

Como toda visão cartográfica, ela não pretende ser um caminho único e linear para o material: ela se localiza na imensidão da diáspora negra, com seus fluxos, contrafluxos, suas derivas e, sobretudo, seus encontros”.

 

*Você pode ler os documentos em um PDF clicando nos links acima ou também diretamente no ISSUU, abaixo.

 

Cartografia - Feminismo negro

Compartilhe

“Na sua arrogância cruel e avassaladora, o extermínio dos descendentes de africanos deixa as suas marcas na esterilização de mulheres negras e pobres, na exploração sexual das nossas crianças, no envolvimento de crianças e jovens negros com o tráfico de drogas, na forma como as famílias negras se desagregam, pressionadas pela pobreza, pela miséria e pela falta de horizontes.”

pronunciamento de Abdias Nascimento no Senado Federal, dia 3 de abril de 1997

Compartilhe

Foto: Acervo Ipeafro

Compartilhe

Mulheres, Raça e Classe – Angela Davis

"As organizações de esquerda têm argumentado dentro de uma visão marxista e ortodoxa que a classe é a coisa mais importante. Claro que classe é importante. É preciso compreender que classe informa a raça. Mas raça também informa a classe. E gênero informa a classe. Raça é a maneira como a classe é vivida. Da mesma forma que gênero é a maneira como a raça é vivida. A gente precisa refletir bastante para perceber as intersecções entre raça, classe e gênero, de forma a perceber que entre essas categorias existem relações que são mútuas e outras que são cruzadas. Ninguém pode assumir a primazia de uma categoria sobre as outras."

Angela Davis, 2016

Compartilhe

Cartografia - Genocídio do negro brasileiro

Compartilhe

Abdias Nascimento no 2º Congresso de Cultura Negra das Américas, no Panamá, em 1980 | Acervo Ipeafro

Compartilhe

“Pesquisas quantitativas denunciam que, quando se trata de um afro-brasileiro envolvido em ilícitos, a Polícia é persecutória e voraz no cumprimento da sua missão, a Defensoria Pública, não raro, vagueia nos limites da burocracia e a Justiça, na sua cegueira plena, avança sem limites até o mais alto grau de parcialidade.”

pronunciamento de Abdias Nascimento no Senado Federal, dia 3 de julho de 1997

Compartilhe

Acervo Ipeafro

Compartilhe

"A força policial brasileira é a que mais mata no mundo, de acordo com o relatório da Anistia Internacional. Aqui a nação desenha a face mais perversa do racismo institucional: a morte violenta do jovem negro pelas forças do Estado."

Daniel Lima em "Cartografia do Golpe Branco"